• Unidade Cohab: Av. Álvaro Serra Castro
    nº 11 - 2º andar, Cohab Anil III - São Luís - MA
    (98) 3244-0105 / 3259-6248 / 99976-2952
  • contato@gastrolifeslz.com.br
    • 08 FEV 13
    • 4
    Dicas de saúde em Gastroenterologia: Orientações sobre Refluxo Gastroesofageano

    Dicas de saúde em Gastroenterologia: Orientações sobre Refluxo Gastroesofageano

    img-news1

    O Refluxo Gastroesofageano (RGE) ou Refluxo Laringofaríngeo é o fenômeno que ocorre quando uma parte do conteúdo líquido do estômago sobe, através do esôfago, em direção à garganta (laringe e faringe).

    As causas podem ser múltiplas (erros alimentares, problemas gastroenterológicos, aumento grande e/ou rápido de peso, etc).

    O RGE pode ocorrer naturalmente com qualquer pessoa sem que isto represente maiores problemas, porém, quando passamos a ter sintomas como azia, pigarro, dor ao deglutir, engasgos, halitose, rouquidão, sensação de bolo na garganta, sufocação noturna, tosse seca crônica, náuseas após refeições, devemos procurar auxílio e orientação médica.

    Listamos aqui algumas orientações que o ajudarão a minimizar ou resolver este problema.

    • Não passe grandes períodos sem se alimentar. Coma algo leve a cada duas ou três horas.img-news2
    • Nas principais refeições (almoço e jantar) evite tomar líquidos e não coma demasiadamente. Deixe para tomar líquidos meia hora antes ou uma hora após as refeições.
    • Evite alimentos gordurosos ou picantes, café, chocolate, molho de tomate, catchup, pimenta, farinha, sucos e frutas muito cítricas, cebola crua, chá preto, mate, hortelã, anis e menta, refrigerantes a base de cola e guaraná, bebidas gasosas e álcool (principalmente à noite).
    • Evite bebidas muito quentes e também muito geladas.
    • Pare de fumar e não permita que fumem perto de você.
    • Não deite logo após comer e tão pouco ataque a geladeira à noite. Dê um intervalo mínimo de duas horas entre a última refeição e o sono (se for possível, faça uma caminhada de meia hora).
    • Eleve a cabeceira da cama gradativamente até chegar a aproximadamente 15 centímetros de altura.
    • Faça alguma atividade física para melhorar o tônus de sua musculatura, corrigir desvios posturais, adequar seu peso à sua altura e perder aqueles quilinhos a mais, principalmente na região do abdome.
    • As hipersensibilidades aos alimentos variam, e os portadores de refluxo podem relatar hipersensibilidades a uma ampla gama de alimentos. É importante não excluir permanentemente uma faixa muito ampla de alimentos, para evitar consequências nutricionais.
    • Ao controlar os sintomas por intermédio de mudança alimentares, de estilo de vida e uso de medicação, alguns dos alimentos excluídos deverão ser reintroduzidos aos poucos.
    • Concluindo então, o tratamento vai desde mudanças comportamentais em estilo de vida e forma de alimentar-se, passando pelo uso de medicamentos por período determinado ou contínuo e, em alguns casos selecionados, pode ser indicado o tratamento cirúrgico.

     

    Deixe sua mensagem →