• Unidade Cohab: Av. Álvaro Serra Castro
    nº 11 - 2º andar, Cohab Anil III - São Luís - MA
    (98) 3244-0105 / 3259-6248 / 99976-2952
  • contato@gastrolifeslz.com.br
    • 19 AGO 12
    • 9
    (HDL – O Colesterol do bem)

    (HDL – O Colesterol do bem)

    O fígado produz 70% do colesterol. Os outros 30% vêm da alimentação.

    Por mais de quatro décadas, o alvo da guerra contra os males cardiovasculares foi a redução dos valores totais do colesterol e, em especial, de um dos tipos de gordura encontrados na sua composição, o LDL, conhecido como colesterol ruim por entupir os vasos sanguíneos. Muitos estudos atestam que exercícios, dieta e remédios como as estatinas empurram os índices para baixo. Desse modo, as chances de ter um infarto caem em até 50%. Mesmo assim, o número de doenças cardiovasculares ainda é alto. Recentemente, as descobertas sobre o potencial protetor do HDL, a porção boa das gorduras que circulam no sangue, soam alvissareiras. Os estudos mostram que cada 5ml/dl a mais de HDL reduzem em cerca de 11% o risco de ter um acidente cardiovascular. Os outros mostraram que 40% dos ataques cardíacos e outros problemas cardiovasculares ocorrem em pessoas com colesterol total normal, mas com níveis baixos de HDL. A mais nova informação nessa área segundo o Jornal da Associação Médica Americana, pessoas com HDL menor que 35mg/dl têm oito vezes mais risco de sofrer um problema cardíaco comparado com aqueles que possuem HDL maior 65mg/dl. Um dos mecanismos de proteção é que o HDL diminui a inflamação do tecido que reveste as artérias, diminuindo a formação de placas de ateroma que, com o passar do tempo poderiam se romper dando origem aos coágulos capazes de bloquear a circulação. Outra descoberta é a extrema relação entre o triglicérides (um tipo de gordura circulante no sangue) e o HDL. Pesquisas mostram que quanto mais elevada a taxa de triglicérides e menor o nível do bom colesterol, maior é a possibilidade de desenvolver o acúmulo de placas de gorduras nas artérias.

    Animados com os benefícios do HDL, a ciência quer descobrir várias maneiras de aumentar a sua produção. As estatinas, usadas para baixar o colesterol ruim, oferecem uma elevação de cerca de 10% do HDL. As mudanças no estilo de vida também podem ter bom impacto no aumento do HDL.

    A prática regular de exercícios, por exemplo, eleva em até 15% a concentração do HDL.  As atividades mais indicadas são as aeróbias – de longa duração e baixo impacto -, como caminhar, nadar, andar de bicicleta. Mais importante que a intensidade ou variação no tipo de exercício é a duração de cada sessão. Pesquisadores concluíram  que cada dez minutos a mais na duração do exercício corresponde a elevação de HDL em 1,4mg/dl. Para que o efeito persista, evidentemente, deve-se fazer exercícios entre três e cinco vezes por semana.

    Outra medida que estimula a produção do HDL é deixar de fumar. O fumo abaixa o HDL e aumenta o mau colesterol.

    Prestar atenção no cardápio também deve fazer parte do processo de elevação do HDL. Embora a alimentação tenha muito menos impacto neste sentido, ela pode ajudar. Azeite de oliva extra-virgem, castanha–do-pará, nozes, alimentos ricos em ômega 3, como o salmão e a sardinha dariam ajuda discreta. A obesidade, principalmente abdominal, gorduras trans, excesso de bebida alcoólica, medicamentos (testosterona e betabloqueadores), sedentarismo e aumento dos triglicérides reduzem os níveis de HDL.

    RECOMENDAÇÕES PARA COLESTEROL ELEVADO

    Evite alimentos gordurosos como: maionese, creme de leite e manteiga / prefira margarina light e em pequena quantidade / prefira pães integrais e ricos em fibras, que não contenham açúcar e gorduras / acrescente uma fonte de fibras na alimentação, como por exemplo: aveia em flocos, farelo de trigo ou arroz, etc / modere o consumo de bolos, biscoitos e bolachas recheadas / evite consumir massas com molhos e recheios muito calóricos e gordurosos, prefira o molhe leve feito com tomates in natura e pouca gordura / evite doces preparados com chocolate, leite condensado e creme de leite, além do açúcar, possuem muita gordura / evite consumir alimentos fritos, prefira preparações assadas ou cozidas / abuse de vegetais folhosos, legumes e frutas / prefira leite e iogurtes desnatados / evite consumir queijos amarelos, eles são mais gordurosos, prefira o queijo branco, a ricota e o queijo cottage / evite as carnes gordurosas, assim como bacon, salsicha, linguiça, embutidos (mortadela, salame, presunto, etc), prefira carnes magras como frangos e peixes /procure não ultrapassar 2 ovos por semana, a gema contém muita gordura, o que contribui para o aumento do colesterol.

    RECOMENDAÇÕES PARA TRIGLICÉRIDES ELEVADOS

    Alimentos proibidos: açúcar, mel e doces em geral; massas como: lasanha, caneloni e pizzas; farinhas (mandioca, milho e trigo); refrigerantes (preferir diet); bebidas alcoólicas.

    Alimentos pouco recomendados: bolachas de água e sal, de água e torradas; batata, mandioca, beterraba, arroz, macarrão, milho verde; feijão, ervilha, soja, lentinha, vagem.

    Alimentos permitidos: leite desnatado, café, chá, suco de frutas; queijos magros; carnes magras; óleo vegetal em pouca quantidade; frutas, verduras e legumes.

    Recomendações: utilizar adoçante no lugar do açúcar, praticar exercícios físicos regularmente com orientação profissional.

    Deixe sua mensagem →