• Unidade Cohab: Av. Álvaro Serra Castro
    nº 11 - 2º andar, Cohab Anil III - São Luís - MA
    (98) 3244-0105 / 3259-6248 / 99976-2952
  • contato@gastrolifeslz.com.br
    • 26 FEV 12
    • 7
    Dicas de saúde em Gastroenterologia: Flatulência Digestiva – Gases

    Dicas de saúde em Gastroenterologia: Flatulência Digestiva – Gases

    O que é flatulência: Todas as pessoas têm gases estomacais e intestinais, e os eliminam através de arroto ou pelo reto. Porém, quando a pessoa elimina muitos gases pelo reto pode ser considerada como tendo flatulência. Os gases intestinais são feitos principalmente de vapores sem cheiro – dióxido de carbono, oxigênio, nitrogênio, hidrogênio e algumas vezes metano. O odor desagradável da flatulência é decorrente das bactérias no intestino que liberam pequenas quantidades de gases contendo enxofre. Embora ter gases seja comum, sua eliminação pode ser desconfortável e embaraçosa.

    O que causa os gases intestinais e estomacais: Os gases intestinais e estomacais vêm de duas fontes: Ar engolido e quebra normal de certos alimentos não digeridos por bactérias inofensivas naturalmente presentes no intestino.

    Quebra normal de alimentos não digeridos e gases intestinais: O corpo não digere e absorve alguns carboidratos no intestino delgado devido à falta de certas enzimas. O alimento não digerido no intestino delgado passa para o intestino grosso, onde bactérias inofensivas o quebra produzindo gases que eventualmente são eliminados pelo reto. Alimentos que produzem gases numa pessoa podem não produzir em outra. O equilíbrio entre tipos de bactérias no intestino pode explicar porque algumas pessoas produzem mais gases do que outras.

    Como é o tratamento para flatulência? A experiência tem mostrado que as formas mais comuns para reduzir o desconforto com gases são mudanças na dieta, tomar remédios, reduzir a quantidade de ar engolido, praticar exercícios físicos e evitar o estresse.

    Mudanças na dieta: O médico pode orientar a pessoa a comer menor alimentos que causam gases. Entretanto, para algumas pessoas, isso pode significar cortar alimentos saudáveis como frutas, vegetais, grãos integrais e laticínios. O médico também pode sugerir limitar alimentos gordurosos para ajudar a esvaziar o estômago mais rapidamente, permitindo que os gases progridam para o intestino. Infelizmente a quantidade de gases causados por certos alimentos varia de pessoa para pessoa, então mudanças eficientes na dieta dependem de aprender através de tentativa e erro.

    Remédios para gases: Muitos remédios para gases estão disponíveis, incluindo Dimeticona e enzimas digestivas, assim como, o Carvão Ativado que auxilia a absorver o excesso de gás, entretanto, ele pode interferir na ação de alguns medicamentos.

    Reduzir a quantidade de ar engolido: A recomendação para aquele com problemas de arroto é evitar engolir grande quantidade de ar. Isso pode ser feito evitando mascar chiclete, comer mais devagar, evitar falar durante as refeições. Se usar prótese dentária,  checar com o dentista se ela está bem fixa.

    Que alimentos causam gases intestinais e estomacais? A maioria dos alimentos que contém carboidratos causam gases. Já as gorduras e proteínas causam poucos gases. Os açúcares que podem causar gases são rafinose, lactose, frutose e sorbitol.

    Rafinose. Feijões contêm grandes quantidades desse açúcar complexo. Pequenas quantidades de rafinose também são encontradas em repolho, brócolis, aspargo, grãos integrais e outros vegetais.

    Lactose. A lactose é o açúcar natural do leite. Ela está presente em produtos que levam leite e seus derivados.

    Frutose. Esse açúcar é naturalmente presente em cebola, alcachofra, pêra e trigo. A frutose também é usada como adoçante

    Sorbitol. O sorbitol é um açúcar naturalmente encontrado em frutas. Ele também é usado como adoçante artificial.

    Amido. A maioria dos alimentos com amido, incluindo batatas, milho, massas e trigo, produzem gases.

    Fibras. Muito alimentos contêm fibras solúveis e insolúveis. As fibras solúveis produzem mais gases, e são encontradas em feijões, ervilhas, aveia e na maioria das frutas. Já a fibras insolúveis estão presentes principalmente em vegetais.

    Faça exercícios físicos: Algumas vezes, a flatulência ocorre em decorrência de um processo digestivo problemático e não por uma dieta errada. Isso acontece porque a passagem de alimentos pelo trato digestivo pode ser atrapalhada. Os exercícios ajudam a regular esse processo. Por isso, quando as coisas ficarem desconfortáveis, vá caminhar.

    Fique calmo: o estresse emocional pode piorar o problema de flatulência. O trato gastrointestinal é extremamente sensível à ansiedade, raiva e depressão. Uma rede de nervos conecta esta área do corpo ao cérebro e, quando você está sob estresse, os músculos do abdome se contraem. O resultado são espasmos doloridos. Comer sob estresse também pode contribuir para a flatulência porque você tende a engolir ar.

    Colaboração: Dr. Jorge Vitorino

    Deixe sua mensagem →