• Unidade Cohab: Av. Álvaro Serra Castro
    nº 11 - 2º andar, Cohab Anil III - São Luís - MA
    (98) 3244-0105 / 3259-6248 / 99976-2952
  • contato@gastrolifeslz.com.br
    • 27 OUT 16
    • 4
    Balão Intragástrico

    Balão Intragástrico

    O que é o balão intragástrico?

    É uma prótese de silicone, semelhante à prótese que as mulheres usam para aumentar os seios, porém seu formato  é esférico, possui uma  superfície lisa e apresenta uma válvula por onde é insuflada dentro do estômago do paciente.

    Qual o objetivo do balão?

    A presença do balão dentro do estômago causa uma sensação de plenitude (estômago cheio).  O paciente sente-se satisfeito mais rapidamente quando se alimenta. Este fenômeno chama-se saciedade precoce.

    Para se saber qual o grau de obesidade é necessário se calcular o índice de massa corporal (IMC). O IMC é calculado seguindo a fórmula ao lado.

    Quem é candidato a colocar o Balão Intragástrico?

    Pacientes com IMC entre 27 e 35 que não respondem a tratamento clínico por mais de três anos;

    Pacientes com IMC maior que 35 que não tem condições de serem submetidos à cirurgia por contra-indicação médica;

    Pacientes que não querem se submeter à cirurgia (neste último grupo os resultados geralmente não são satisfatórios – sendo que poucos casos apresentam um emagrecimento significativo)

    Check-up antes da colocação do balão

    O médico responsável verificará se você está apto a receber o balão gástrico, e se você não sofre de nenhum dos itens abaixo relacionados a seguir: abuso de álcool ou drogas, presença de gravidez, problemas psicológicos graves ou doença mental, problemas gástricos e esofágicos que contra-indiquem o uso do balão.

    Como é colocado o balão?

    Ao contrário dos outros procedimentos que são cirúrgicos, o balão é colocado através da endoscopia digestiva. É um procedimento ambulatorial no qual o paciente é sedado. É realizada uma endoscopia digestiva para acompanhar o enchimento e posicionamento do balão dentro do estômago. O balão é preenchido com soro fisiológico adicionado de um corante chamado de azul de metileno. Se o balão romper o corante azul é absorvido pelo intestino e o paciente começa a urinar azul. Neste caso o balão deve ser retirado ou trocado dependendo da época do tratamento em que acontecer. ATENÇÃO: balão não explode!

    Quais os riscos de colocar o balão?

    Devido a todos os cuidados tomados previamente, os riscos da colocação e retirada do balão se equivalem à de uma endoscopia. Como todo procedimento médico o balão pode apresentar algumas complicações. Todas estas complicações serão esclarecidas pelo médico responsável através de informação falada e escrita.

    Vou sentir alguma coisa depois?

    Sim, é muito comum o paciente passar por uma fase de adaptação. Quatro a seis horas após a colocação, a maioria dos pacientes apresentam náusea, vômitos  e sensação de peso causando desconforto importante. Todos estes sintomas são tratados com medicação oral e endovenosa  e devem passar em dois ou três dias. Se o paciente não se adapta à presença do balão, é realizado novo exame de endoscopia para sua retirada.

    Então é só colocar o balão e emagrecer?

    Não, infelizmente  o milagre para o emagrecimento ainda não chegou. Na verdade o balão é como o motor de um carro. Sozinho não faz o carro andar! O automóvel só anda devido a uma engrenagem complexa que faz as coisas funcionarem. Junto com o balão deve feito um acompanhamento com psicólogo e nutricionista.
    Haverá  uma redução calórica importante na dieta do paciente com mudanças dos hábitos alimentares.
    É nesta reeducação alimentar que se baseia todo o tratamento do balão intragástrico. É um processo lento e trabalhoso que necessita da colaboração plena do paciente.
    É de fundamental importância o paciente entender que sem a sua colaboração o tratamento ficará totalmente comprometido.

    Mas quanto tempo vou ficar com o balão?

    A vida média do balão é de 6 meses. O tratamento pode variar entre 4 e 6 meses. O que vai determinar o tempo em cada paciente é a sua curva de emagrecimento. Trabalhos científicos  tem demonstrado que o volume maior de perda de peso ocorre nos primeiros 4 meses .

    E para retirar o balão?

    Após 6 meses , uma nova endoscopia é realizada para a retirada do balão. O balão é perfurado e esvaziado com  cateter especial.  O balão é retirado vazio através da endoscopia. Após o tratamento o paciente deve continuar sendo acompanhado pelo psicólogo e nutricionista para manter o peso.

    “O paciente com obesidade deve ser acompanhado por toda sua vida para que os resultados de qualquer tratamento sejam satisfatórios.”

    ORIENTAÇÕES GERAIS

    Vantagens do balão intra-gástrico como método de tratamento da obesidade

    Reversibilidade: trata-se de um método reversível. O balão pode ser retirado a qualquer momento no caso de alguma intolerância

    Baixo risco de complicações

    Repetibilidade: embora não seja comum, o balão intragástrico pode ser colocado sucessivas vezes, se necessário

    Promove o emagrecimento sem necessidade do uso de medicamentos moderadores de apetite. É uma boa alternativa para pacientes que apresentam intolerância ou contra-indicações a estes medicamentos

    Qual a perda de peso esperada com o balão intragástrico?

    Embora a perda média fique entre 15 a 20% do peso inicial, há que se destacar que esta perda é extremamente variável e depende de vários fatores como peso inicial, adaptação, volume de preenchimento, tipo de balão (ar ou líquido), disposição emocional para mudanças, adesão ao controle clínico e nutricional, grau de atividade física, metabolismo basal, etc.

    Quais são as contra-indicações para colocação do balão intragástrico?

    Antes de se proceder a colocação é importante avaliar cuidadosamente se o paciente não possui contra-indicações ao balão intragástrico como úlcera péptica, hérnia hiatal volumosa (>5cm), passado de cirurgia gástrica, problemas de coagulação, esofagite grave, uso crônico de antiinflamatórios, alcoolismo, cirrose hepática, insuficiência renal crônica, gravidez e SIDA. Pacientes portadores de esofagite grau III, úlcera gástrica ou duodenal em atividade devem ser tratados previamente à colocação do balão. Pacientes que fazem uso crônico de antiinflamatórios devem ser suspensos ou substituídos. Pode estar ainda indicada uma avaliação psicológica para se avaliar o grau de comprometimento, compreensão e expectativas por parte do paciente.

    Qual a importância da Psicologia no tratamento com o Balão intragástrico?

    A Psicologia tem um papel fundamental na avaliação prévia do paciente, identificando se existe algum fator que poderá interferir no tratamento como: tolerância e comprometimento nas primeiras horas pós-procedimento, momento em que os sintomas são mais acentuados; capacidade do indivíduo em lidar com mudanças no peso, imagem corporal, hábitos alimentares, comportamentos e atitudes em seu cotidiano.

    Quais as possíveis complicações com o balão gástrico?

    O balão intragástrico é considerado hoje um método de baixo risco comparado a outras formas de tratamento da obesidade como medicamentos e cirurgia bariátrica. Embora pouco frequentes, as principais complicações já observadas foram esvaziamento do balão e migração para o intestino (geralmente é eliminado na evacuação mas raramente pode ocorrer obstrução), aparecimento de úlcera gástrica, colonização por fungos, desidratação por vômitos na fase de adaptação. Estas complicações são raras sobretudo quando há uma indicação criteriosa. As complicações mais observadas nos estudos foram em pacientes que não voltaram para retirada do balão no prazo recomendado, o que denota a importância de uma boa aliança médico-paciente no momento de se indicar este tipo de tratamento. Devido à presença do corante no balão, em caso de esvaziamento do balão, o paciente perceberá uma cor azul na urina ou nas fezes que o alertará para a procura de orientação médica e programação da melhor conduta.

    Após a retirada do balão poderá haver recuperação do peso perdido?

    De fato, a colocação de um balão gástrico pode ter um efeito apenas transitório se não houver um envolvimento do paciente com as mudanças na alimentação, estilo de vida e principalmente da auto-estima que poderão ser alcançadas neste tratamento. Por isso, há um grande enfoque no preparo e acompanhamento profissional para que o paciente não se apoie na ilusão de que apenas preencher o estômago com um balão de silicone irá resolver, de forma mágica, seus problemas. Deve-se lembrar que a recuperação de peso pode ocorrer com qualquer modalidade de tratamento da obesidade (até mesmo nas cirurgias bariátricas) se não houver uma participação ativa do paciente neste processo. Assim, o papel fundamental do acompanhamento clínico é manter os cuidados necessários para que, neste período, a pessoa tenha condições de emagrecer, reeducar seus hábitos e ganhar mais saúde para que, após a retirada, o paciente esteja pronto para se beneficiar dos diversos recursos disponíveis para prevenção da recuperação de peso.

    Quais os cuidados após a colocação do balão intragástrico?

    A primeira semana é a que requer mais cuidados devido à adaptação do organismo com a presença do balão. Embora o volume do balão não seja muito diferente do volume de uma refeição usual (considerando a comida e bebida) temos que lembrar que no caso da refeição os movimentos do estômago irão promover o seu  esvaziamento o que não ocorre na presença do balão. Por isso, normalmente são prescritos medicamentos para inibir a acidez do estômago bem como as cólicas, náuseas e vômitos que representam uma resposta fisiológica do organismo. Mesmo assim, 80% dos pacientes apresentam algum episódio de vômito nesta fase de adaptação. Além disso, deve se ter um cuidado especial com a dieta, prescrita e acompanhada por uma nutricionista especializada, inicialmente líquida evoluindo para pastosa e normalizando a consistência com o passar dos dias com grande atenção para a mastigação. Bebidas alcoólicas devem ser evitadas nesta fase. O acompanhamento clínico e nutricional – e psicológico quando necessário – é fundamental para que o paciente aproveite ao máximo o benefício proporcionado por este método de tratamento e alcance os resultados desejados.

    Deixe sua mensagem →
  • Posted by Andréia Ferreira Freitas on setembro 6, 2017, 7:30 am

    Bom dia, me chamo Andréia.
    E gostaria de receber um orçamento para colocação de um balão intragástrico com urgência.
    Agradeço

    Reply →
  • Posted by Joaci Campos Junior on outubro 23, 2017, 9:42 pm

    Boa Noite!!! gostaria de um orçamento para colocar o balão

    Reply →
  • Posted by Danielle on Fevereiro 27, 2018, 12:07 pm

    Gostaria de receber um orçamento completo do procedimento para colocar o balão. Aguardo, obrigada.

    Reply →

Deixe sua mensagem

Cancel reply